Você está aqui: Página Inicial > Campus > Penedo > Notícias > Trabalho de busca ativa alcança todos estudantes para pesquisa sobre conectividade
conteúdo

Notícias

Trabalho de busca ativa alcança todos estudantes para pesquisa sobre conectividade

Resultados foram disponibilizados esta semana, após conclusão das visitas aos alunos até então não localizados.
por Lidiane Neves publicado: 27/08/2020 09h14, última modificação: 27/08/2020 09h14

Desde que o ensino remoto passou a ser discutido como possibilidade para a retomada emergencial do calendário letivo no Instituto Federal de Alagoas (Ifal), o Campus Penedo iniciou um trabalho de busca ativa do corpo discente, com o objetivo de identificar as condições de acesso à internet e a equipamentos eletrônicos. Por meio de contato telefônico e visitas domiciliares seguindo as recomendações de segurança sanitária, a iniciativa alcançou todos os estudantes regularmente matriculados nos cursos técnicos presenciais do campus (confira os dados no link ao final da matéria).

De forma on-line, o questionário sobre possibilidades de uso de ferramentas virtuais de aprendizagem já havia sido lançado entre o final de março e começo de abril, quando a suspensão das aulas estava na fase inicial. No entanto, pouco mais da metade dos alunos e alunas responderam as perguntas. “Apenas 54% preencheram o formulário, um percentual que já nos dava o indicativo de que nem todos estavam acompanhando as ações do campus, seja por questões de conectividade ou mesmo por falta de interesse, desmotivação em manter o vínculo institucional com atividades que até então não contam como letivas para o calendário 2020”, informou o diretor-geral do Ifal Penedo, Felipe Thiago Souza.

Segundo ele, o desenvolvimento de atividades de ensino remotas demanda a criação de condições para que tal prática alcance todos os estudantes e consiga minimizar as dificuldades de uma rotina de estudos em casa, resultantes das diferentes realidades socioeconômicas. “Para ter noção da viabilidade de determinadas ações e desenvolver estratégias assertivas, precisávamos de dados mais completos sobre os requisitos básicos, porém não os únicos, para uma possível retomada do calendário letivo de forma remota. Por isso, a necessidade de buscar cada um dos estudantes que ainda não haviam respondido o questionário”, esclareceu Felipe Thiago.

 O trabalho começou em meados de julho. Inicialmente, a busca se deu por meio telefônico, com base na lista de contatos que o Ifal Penedo mantém. Orientada pela Direção-Geral do campus, a equipe de recepcionistas telefonou para os estudantes ou seus responsáveis legais, com o objetivo de averiguar o motivo pelo qual não participaram da pesquisa on-line. “Essa força tarefa que envolveu nossas terceirizadas da recepção foi fundamental para que conseguíssemos fazer as centenas de ligações necessárias”, destacou.

Como não houve êxito no contato com parte dos discentes da lista, 27 no total, o passo seguinte foi procurá-los em suas residências. O trabalho foi diretamente executado pelo diretor-geral Felipe Thiago, com a colaboração do chefe do Departamento de Ensino, Wellinghton Santos, do funcionário terceirizado Elandio Santos, e da psicóloga Bárbara Guerreiro, que compõe a equipe de Assistência Estudantil. “Tivemos dificuldades em encontrar alguns endereços e somente na semana passada foi que concluímos essas visitas”, disse Felipe Thiago.

Dados da pesquisa

Os dados apresentados esta semana mostram que, dos 574 estudantes regularmente matriculados nos cursos técnicos presenciais do Ifal Penedo, quase 90% possuem algum tipo de acesso à internet. Entre estes, a grande maioria – 390 alunos – dispõe de conexão por fibra óptica. Quanto aos tipos de equipamentos disponíveis para acesso à internet, foram 536 respostas para telefone celular, 152 para notebook, 74 para Smart TV, 63 para computador Desktop e 7 para nenhum tipo.

O questionário também envolveu perguntas sobre funcionalidades do equipamento; acesso aos sites e sistemas do Ifal, como o SIGAA; possibilidades de realizar videochamadas, webconferências ou teleconferências; conhecimentos básicos em informática suficientes para fazer trabalhos escolares; e condições mínimas na residência para realizar atividades acadêmicas. Para conferir os dados detalhados, acesse o arquivo com o resultado e o arquivo com os gráficos.