Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Primeira cerimônia do ano empossa 30 servidores para dez unidades do Ifal

Notícias

Primeira cerimônia do ano empossa 30 servidores para dez unidades do Ifal

Mais de um terço deles são egressos dos institutos federais

por Jhonathan Pino - jornalista publicado: 09/01/2020 08h43 última modificação: 10/01/2020 16h58

“Eu achei que esse momento não fosse mexer comigo, mas quando cheguei aqui, me deu um frio na barriga, com toda a responsabilidade que devo assumir, a partir do momento em que tomo posse como professora”, declarou Verônyca Kezya Santos a nova docente de Administração do Campus Piranhas, em uma cerimônia de posse que nesta quarta-feira, 8, reuniu 30 histórias de vida para o início de uma missão comum no Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

Ao menos doze dessas trajetórias já tinham passagens pelas unidades de institutos federais. Os técnicos em laboratório Antônio Carlos, Wesley Silva e Bruno Marques Barbosa, por exemplo, foram alunos do Campus Maceió e agora irão contribuir com as unidades de Satuba, Piranhas e São Miguel dos Campus, respectivamente. Já Heloyza Helena da Silva, egressa do Campus Arapiraca, também ocupará o mesmo cargo que eles, no Campus Satuba.Egressos do Ifal, Bruno Marques Barbosa e Wesley Silva relataram o sentimento de estarem voltando para casa.JPG

Wesley comentou que estava sentindo que voltava para casa, “depois de uma longa viagem”. Bruno acrescentou que mantinha uma relação parecida com a instituição. “Eu gostaria de dizer que continuo sendo aquele mesmo da época em que era aluno, que ia para Avenida Buarque de Macedo, sempre sonhando que alguma coisa boa fosse acontecer e agora estou aqui”, relatou.

Juliane Pereira estudou no Campus Palmeira dos Índios e agora será técnica em assuntos educacionais do Campus Santana do Ipanema; Maria Virgínia Gomes, egressa do Campus Maceió, irá para a unidade de Piranhas.

Maria Virgínia Gomes agradeceu a sua mãe pelo empenho em ajudá-la à época em que tinha que acordar as 4h30 para fazer o trajeto União dos Palmares - Maceió.JPG“Quem é do interior e tem que pegar a estrada para ir a escola sabe a dificuldade que é ter que acordar cedo para estudar. Devo tudo isso a minha mãe, que esteve me acordando, faça chuva, ou faça sol, às 4h30h da manhã, para que eu pudesse frequentar o Ifal”, recordou Virgínia.

Assim como ela, o novo técnico de laboratório em Agroecologia do Campus Santana do Ipanema tinha que sair de União dos Palmares para poder fazer sua formação profissional, em outra cidade, mas o percurso era menor, já que estudava no Campus Murici. Ele lembrou que costumava pegar carona para chegar à unidade.Orlando Angelo Neto costumava pegar caronas para estudar no Campus Murici, agora o técnico em Agroecologia será servidor no Campus Santana do Ipanema

Outros dois empossados não haviam estudado no Ifal, mas fizeram parte de outros institutos da rede, em seus respectivos estados de origem. Lucas Henrique Pajeú, o novo técnico de Laboratório de Informática do Campus Viçosa, havia estudado nos dois institutos do gênero, em Pernambuco, IFPE e do Sertão Pernambucano. Paulo Sérgio Casado, o técnico em Tecnologia da Informação do Campus Maragogi, no Instituto Federal de Sergipe (IFS), o técnico de laboratório em Mecânica do Campus Coruripe, Francisco Caymon e a técnica em Segurança do Trabalho, Vanessa Stephanie Costa, ambos no IF do Rio Grande do Norte.

De alunos à carreira docente no Instituto

Entre os cinco docentes nomeados também existiam trajetórias semelhantes. Carlos Antônio Fernandes, novo professor de Informática do Campus Santana do Ipanema e José Nildo Barbosa, de Português, do Campus Viçosa, são egressos do Ifal. O último falou dos desafios de deixar Paulo Jacinto em busca de uma educação melhor na antiga Escola Agrotécnica, hoje o Campus Satuba.José Nildo Barbosa, se emocionou, ao falar de suas origens e das dificuldades de estudar fora de sua cidade,.JPG

“Aqui eu me sinto em casa, como me sinto na Ufal [Universidade Federal de Alagoas], onde estou em processo de doutoramento. Nesse momento retorno à minha casa e à minha história”, comentou do docente, emocionado, entre seus familiares.

Também tomaram posse as nutricionistas Ana Cicera de Souza e Nayane Santiago, respectivamente dos campi Maragogi e Piranhas; as enfermeiras Anna Aline Silva, Ingrid Peixoto e Tamara Bispo da Silva, das unidades de São Miguel dos Campos, Viçosa e Penedo, além das assistentes sociais Cristiane Lima e Dayse Caroline Souza, dos campi Palmeira e Piranhas.

25 técnicos e cinco docentes tomaram posse na primeira solenidade do ano.JPGA unidade de Murici recebe o tecnólogo da Informação, José Santana da Silva Júnior; Viçosa, o pedagogo Marcelo Ribeiro; Penedo, a assistente em administração, Viviane de Lima e Piranhas, outros dois servidores: a técnica em assuntos educacionais, Priscila Santana de Ávila e a técnica em enfermagem, Sueli Bezerra de Melo.

Completam a lista o novo técnico em assuntos educacionais da Reitoria, Frederich Duque Morcerf, que tomou posse, após atuar 10 anos na Ufal, além dos docentes de Sociologia e Língua Portuguesa, respectivamente, do Campus Santana, Leonardo Siqueira e Wellton da Silva de Fátima .

Interesse público deve como norte de atuação

Na posse, gestores das unidades de Santana do Ipanema, Viçosa, Palmeira dos Índios, Satuba e Penedo, relataram como suas próprias vidas mudaram quando entraram em contato com os institutos federais. “Eu também sou ex-aluna do Instituto Federal do Ceará e entrei aqui há 10 anos. Eu lembro a sensação da vontade de servir. Mas essa gana tem que estar presente todos os dias, porque vocês vão precisar dela para lidar com as demandas diárias”, apontou Talita Morais, diretora da unidade São Miguel.Ao lado dos gestores Gilberto Neto, Roberto Fernandes, Renata Pires, Cledilma Costa e Adriana Nogueira, o reitor Carlos Guedes falou sobre a relação afetiva que os servidores desenvolvem com o instituto

Ao lado do reitor Carlos Guedes, a pró-reitora de Ensino Cledilma Costa, acrescentou que essa vontade tem que estar a serviço do público atendido. “Os sonhos de vocês se realizam nesse momento, mas nada disso é por acaso. Temos o objetivo de atender a um público que espera um serviço de qualidade. Todo esse quadro de servidores qualificados que possuímos só terá valor se atendermos às demandas, as limitações e às dificuldades que o nosso povo tem. Aqui, cada um de nós tem um objetivo pessoal, mas tudo isso deve se reverter na permanência e no êxito dos nossos alunos”, enfatizou a gestora da Proen.

O reitor encerrou a cerimônia comentando que aquele momento provavelmente era a posse mais emocionante que já havia vivenciado. “É muito bom compartilhar a felicidade com as pessoas. Nesse momento, fiquei pensando o que é que eu deveria falar, daí pensei em seguir pelo coração”.

registrado em: