Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Ifal sedia encontro de dirigentes da Rede Federal

Notícias

Ifal sedia encontro de dirigentes da Rede Federal

Presidente do Conif ressalta importância da Educação Profissional para o desenvolvimento do Brasil

por Elaine Rodrigues publicado: 09/04/2019 22h09 última modificação: 10/04/2019 23h23

Reitores de Institutos Federais e diretores de Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefet) e do Colégio Pedro II estão em Alagoas. Até quinta-feira, 11, o Instituto Federal de Alagoas (Ifal), sedia a 94ª reunião ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif).

O encontro começou nesta terça, no dia em que tomou posse o novo ministro da Educação, Abraham Weintraub. O cenário de mudança no Ministério, as preocupações com o andamento das ações da pasta e as perspectivas para uma nova gestão tornam as discussões mais urgentes e relevantes.

Conif6.jpeg“É uma honra, neste momento tão importante que o Brasil está vivendo, trazer esta discussão para Alagoas e mostrar nossa instituição para todo o Brasil. A gente expôs algumas práticas exitosas, que foram sucesso na apresentação. Cada instituto tem um potencial e nós temos também. Nesta quarta-feira (10), a gente vai levar todos os reitores para conhecer uma realidade nossa, que é o Campus Coruripe. Então, é importante a gente debater o cenário do Brasil, as problemáticas da Rede Federal, com todos os reitores, na nossa casa. É a quarta vez que a nossa gestão está trazendo o Conif e a gente tem o prazer de acolhê-los, é uma marca do nordestino e do Ifal também, receber bem as pessoas”, afirmou o reitor do Ifal, Sérgio Teixeira.

Neste primeiro dia foram debatidas questões relacionadas à Comunicação do Conif e os dirigentes receberam quatro representantes do Ministério da Educação – Weber Tavares, coordenador-geral de Planejamento, Orçamento e Gestão da Rede Federal, Rodrigo Alves, diretor de Desenvolvimento da Rede Federal, Silvilene Souza, coordenadora-geral de Desenvolvimento de Pessoas da Rede Federal, e Daniel Ferraz, coordenador-geral de Infraestrutura e Inovação da Rede Federal.

“Nós podemos formar cidadãos que são indutores do desenvolvimento regional. Então, o Governo que pensa na questão do desenvolvimento do Brasil, ele tem que pensar na Educação e, principalmente, na Educação Profissional, que move essa perspectiva do desenvolvimento” (Jerônimo Rodrigues da Silva)

“A pauta básica são as mudanças que tiveram ao longo desses três primeiros meses, em relação aos decretos que impactam significativamente as nossas instituições, em relação à extinção de cargos e funções, em relação ao decreto de contingenciamento e, logicamente, os Termos de Execução Descentralizada que estão parados na perspectiva de execução. Isso tudo está impactando as nossas instituições”, explicou o presidente do Conif, Jerônimo Rodrigues da Silva, também reitor do Instituto Federal de Goiás. Após os debates, ele afirmou que o grupo saiu com alguns encaminhamentos. “Mas entendemos que temos que dar sequência a esses encaminhamentos porque não são eles as pessoas que vão decidir. Isso sobe para a Secretaria Executiva ou o ministro da Educação. Temos que marcar, pedir uma agenda com o novo ministro [Abraham Weintraub], assim como nós tivemos há praticamente um mês uma agenda com o professor Ricardo Vélez, nós solicitaremos agora. Para nos apresentar, mostrar o potencial da Rede Federal e, consequentemente, ver a possibilidade das ações serem reiniciadas”.

Conif1.jpeg

Números da Rede Federal

De acordo com a plataforma Nilo Peçanha, a Rede Federal possui cerca de um milhão de estudantes matriculados (dados referentes a 2018). Em Alagoas, o Ifal conta com cerca de 21 mil estudantes e quase dois mil servidores.

Para o presidente do Conif, a Rede Federal é uma rede forte e o Brasil tem um modelo de Educação Profissional presente em todos os estados brasileiros, incluindo locais que não eram atendidos com educação de qualidade. “Nós podemos formar cidadãos que são indutores do desenvolvimento regional. Então, o Governo que pensa na questão do desenvolvimento do Brasil, ele tem que pensar na Educação e, principalmente, na Educação Profissional, que move essa perspectiva do desenvolvimento”, ressaltou.

Para o reitor eleito do Ifal, Carlos Guedes, que vai assumir a gestão entre 2019-2023, as discussões do Conif em Alagoas acontecem em um momento importante para o Colégio de Dirigentes da Rede Federal. “É um momento de troca de experiências, mas também de busca conjunta de soluções para os problemas da Rede Federal, tanto do ponto de vista do orçamento, mas, principalmente, do Ensino. Em todas as áreas são discutidos temas que angustiam os dirigentes da Rede Federal em todos os seus institutos. E essa troca de experiências é fantástica. A conversa com outros reitores buscando soluções para os problemas que alguns institutos já tenham resolvido e que nos angustiam aqui é necessária para que a gente possa consolidar ações, crescer de forma conjunta e trabalhar em rede, que é nosso grande objetivo”.

Conif5.jpegCamerata Jovem do Ifal

As atividades começaram com a apresentação da Camerata Jovem do Ifal. Ela é um projeto de Extensão em Música, do Núcleo de Cultura do Campus Maceió, na área de cordas friccionadas. É fruto do projeto ArtIfal e, desde 2011, desenvolve um trabalho que visa a formação inicial de jovens instrumentistas no âmbito da música erudita. O grupo conta com a regência do mastro Almir Medeiros e é formado por 20 integrantes entre estudantes, monitores e colaboradores. A apresentação emocionou os presentes.

Conif3.jpeg





Conif

O Conselho é formado por 41 instituições, sendo 38 Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, dois Centros Federais de Educação Tecnológica (Cefets) e o Colégio Pedro II. O Conif é responsável por dar suporte, orientar e respaldar a Rede Federal. Além de desenvolver estudos e projetos, por meio de congressos, conferências, seminários e encontros, o Conif também incentiva o intercâmbio de informações e experiências na Rede Federal, com outras instituições nacionais e estrangeiras, e executa articulações com os diversos entes públicos e a sociedade civil organizada.

Mais informações na página do Conif.

registrado em: