Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Exame de Seleção: por que escolher o Instituto Federal de Alagoas?

Notícias

Exame de Seleção: por que escolher o Instituto Federal de Alagoas?

Saiba mais sobre a instituição que investe em Ensino, Pesquisa, Inovação e Extensão
por Elaine Rodrigues publicado: 17/09/2019 09h59 última modificação: 18/09/2019 17h42
Exibir carrossel de imagens Aula de Biologia no Campus Piranhas

Aula de Biologia no Campus Piranhas

Os editais para ingressar no Instituto Federal de Alagoas estão com inscrições abertas e a gente explica agora qual a principal diferença do Ifal em comparação com escolas e centros de formação profissional, para você fazer a melhor escolha para o seu futuro!

O Ifal integra a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, uma referência na educação profissional do Brasil. No Ifal, o estudante pode escolher entre mais de 20 opções de cursos técnicos, distribuídos em 16 campi, presentes em todas as regiões de Alagoas.

Os cursos técnicos são para quem vai fazer o ensino médio e também para quem já terminou o ensino médio. Todos esses estudantes vão contar com uma ação integrada da instituição, que investe em Ensino, Pesquisa, Inovação e Extensão.

Pró-reitores de Pesquisa e Extensão durante evento no Campus Viçosa“A escola evoluiu. O modelo foi mudando e o Ifal passou a ser um instituto onde a gente tem esse tripé, o Ensino agregado à Pesquisa e à Extensão. A Pesquisa, onde eu vejo um método científico de pensar, de compreender o mundo e modificar esse mundo para poder propor soluções a ele. E depois você vê que precisa de um componente mais humanitário, mais social. ‘Eu não posso estar preso nas quatro paredes de um laboratório, já que eu compreendi o mundo, eu sei das suas dificuldades, eu estou propondo soluções, então eu tenho que entregar a solução para a comunidade’. Então, essa entrega proporciona ao aluno a interação com o mundo, com tudo aquilo que ele aprendeu. Aqui no Ifal, o estudante não vai ter somente uma formação técnica, mas vai desenvolver a pesquisa e vai ter essa experiência mais humana. Por isso que a nossa instituição é diferenciada da escola tradicional”, explica a pró-reitora de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação, Eunice Palmeira.

ProjetoPesquisaSantana.jpegA cada ano, o Ifal abre novos editais que viabilizam o desenvolvimento de projetos de Ensino, Pesquisa e Extensão. Em 2019, cerca de 350 projetos de Pequisa que começaram no ano anterior foram finalizados por estudantes, com a orientação de professores e técnicos da instituição. Um deles é o da aluna Ana Laura Rodrigues, do Campus Santana do Ipanema. Ela desenvolveu uma pesquisa sobre o diagnóstico da posse responsável de cães no município, com a orientação da professora Vitória Ramalho. O trabalho foi apresentado no ano passado na Feira de Ciência e Tecnologia do Nordeste, a Fenecit, e foi credenciado para o Foro Internacional en Ciencia e Ingeniería, em Santiago, no Chile, onde foi apresentado novamente no início desse mês.

“Esse contato com a Extensão e a Pesquisa no ensino médio é muito importante e o Instituto proporciona muito essa experiência, eu não preciso esperar para entrar na universidade para ter contato com a ciência”, conta Ana Laura.

As inscrições para os cursos técnicos  do Ifal estão abertas até 6 de outubro, participe!

O Ifal está realizando este ano cerca de 280 atividades de Extensão, envolvendo projetos, cursos e programas. “A Extensão e a Pesquisa se unem ao Ensino para dar ao estudante qualidade de formação profissional. Ele vai na Pesquisa aprender mais do que está posto no conteúdo do Ensino, desafia e gera novos conhecimentos, aprende mais. E a Extensão entra fazendo com que ele consiga pegar esse conhecimento e compartilhe fora do Ifal, com a sociedade”, detalha o pró-reitor de Extensão, Abel Coelho.

“O estudante ganha crescimento pessoal porque ele vai aprender a expor aquilo que aprendeu ou está aprendendo, ele ganha porque interage com as pessoas e ele ganha porque ele vai na comunidade e aprende com ela também, é uma troca de conhecimentos maravilhosa”, completa o pró-reitor.

ProjetoExtensãoArapiraca.jpegTambém no evento do Chile, no início deste mês, o Ifal participou com o projeto dos estudantes do Campus Arapiraca, Carlos Matheus Esperidião da Silva e Tiago dos Santos da Silva, orientados pelo professor José Roberto de Almeida Lima. O projeto de Extensão utiliza teatro e jogos para ensinar assuntos de Matemática a estudantes que estão no ensino fundamental, prestes a ingressarem no ensino médio.

“Eu sempre estudei em escola pública e, antes de entrar no Instituto Federal, eu tirava notas legais em Matemática, mas quando eu cheguei no Instituto, a minha primeira nota em Matemática foi 5. E aí eu comecei a conversar com Tiago, que falou que estava com o mesmo problema. Então, a gente procurou o nosso professor, Roberto, e começamos a estudar métodos para ver se conseguíamos melhorar isso. A gente percebeu que no Agreste alagoano, quase todo mundo que entrava no ensino médio tinha essa dificuldade, tinha esse impacto e a gente queria mudar isso”, conta Carlos Matheus.

matemáticaprojeto.jpegO trabalho foi desenvolvido na Escola de Ensino Fundamental Professor Lourenço de Almeida, no Sítio Bálsamo, em Arapiraca. Os estudantes aplicaram uma avaliação antes e depois do projeto. Antes, 58% dos alunos tinham notas entre 2,5 e 5. O que caiu para 11% depois da execução do projeto. Já 8% tinham notas entre 7,5 e 10, o que aumentou para 61% depois da execução do projeto.

Inscrições abertas

Os candidatos ao Exame de Seleção do Ifal podem se inscrever até o dia 6 de outubro. O Ifal oferta mais de 3.300 vagas, nos campi que estão presentes em 15 municípios de Alagoas. Saiba mais aqui!

registrado em: ,