Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Eletrotécnica e Sistemas de Informação pensam em futuro de suas áreas de atuação

Notícias

Eletrotécnica e Sistemas de Informação pensam em futuro de suas áreas de atuação

por Jhonathan Pino - jornalista publicado: 10/11/2017 12h48 última modificação: 13/11/2017 11h32

Alunos e docentes dos cursos de Eletrotécnica e do Bacharelado em Sistemas de Informação, do Campus Maceió, tomaram a noite da última quinta-feira, 9, para discutir o futuro da atuação dos profissionais de suas áreas. As atividades fizeram parte da Mostra Ifal. Uma delas contou com a presença do analista de Sistemas da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), Ziraldo Cardoso, que apresentou o mundo da Bioinformática. A outra reuniu professores de três cursos para encerrar o Fórum “Eletrotécnica hoje e a eletrotécnica que queremos”, em alusão a data comemorativa dos 50 anos do curso, no Instituto Federal de Alagoas (Ifal).

Inovação foi a palavra chave utilizada pelo professor Marcelo de Assis em sua apresentação sobre o Labtec@, um laboratório criado no curso de Eletrotécnica para que professores e alunos possam experimentar de forma prática o que aprendem nas aulas. O docente revelou que o laboratório foi inspirado nas instalações visitadas por ele na Finlândia, que promovem maior liberdade, interação e concentração dos alunos, na resolução de problemas.Alunos, professores e profissionais reunidos em Forium para pensar o futuro da Eletrotécnica.JPG

Para ele, o modelo já está dando certo no Ifal. Em seu primeiro ano de atuação, alunos dos cursos de Eletrotécnica e Eletrônica, desenvolveram em conjunto um protótipo para a geração de três tipos de energias renováveis: a eólica, solar e a térmica. O projeto chamou a atenção de um reitor de Portugal, que acabou convidando os alunos para passar uma temporada e compartilhar experiências de gestão de ideias com estudantes de todo o mundo, reunidos em terras lusitanas.

O coordenador do curso de Design, José Martins, falou sobre o trabalho integrado dos docentes do curso.JPGConforme Marcelo o Hibridger é um módulo que reúne e dispõe de forma inovadora as tecnologias de geração de energia sustentável já existentes. “Quando a gente está falando de inovação, não é preciso que seja algo inusitado e revolucionário, mas essa inovação pode ser estabelecida em pequenas adaptações sobre a base de algo que já foi feito. São essas ideias que serão patenteadas e comercializadas”, colocou o docente.

Além dele, estiveram presentes ao Fórum empresários do setor, que relataram o campo profissional no primeiro dia e o coordenador do curso de Design, José Martins, que no segundo dia de atividades apresentou a metodologia de autoaprendizagem utilizada na graduação.

Introdução à Bioinformática

O analista de Sistemas da Uncisal, Ziraldo Cardoso apresentou o mundo da Bioinformática.JPGAo mesmo tempo, os alunos de Sistemas de Informação tiveram uma introdução à área da Bioinformática. Ziraldo levou o histórico e apresentou as regras de negócios da área. Além disso, introduziu a plataforma de aprendizagem Rosalina, como possibilidade de uma formação autodidata que atende as demandas existentes nesse nicho profissional.

“Quem trabalha com a área de saúde e genética não quer saber de programar, enquanto aqueles que trabalham com Informática quer apenas saber de programar. Por isso a necessidade da Bioinformática, uma ciência que busca entender a formação de modelos de moléculas e proteínas que compõem o DNA”, pontuou o analista.

registrado em: ,