Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Projeto “Senta que lá vem história” promove leitura e contação de história em comunidade carente

Notícias

Projeto “Senta que lá vem história” promove leitura e contação de história em comunidade carente

por Anny Rochelly - jornalista publicado: 19/06/2017 11h40 última modificação: 19/06/2017 11h52

Iniciativa do aluno de Letras do Instituto Federal de Alagoas (Ifal) localizado em Maceió, Carlos Augusto da Silva, o projeto de extensão “Senta que lá vem história” tem grande aceitação da comunidade Alto da Boa Vista, no bairro Chã da Jaqueira, em Maceió. Em torno de 20 crianças de 8 a 12 anos de idade são beneficiadas com leituras e contação de histórias desde agosto do ano passado, quando o projeto teve início.

Em 2017, as atividades passaram a estar enquadradas como projeto de extensão do Ifal após a ideia ser submetida à última seleção da Pró-Reitoria de Extensão (Proex). De acordo com o idealizador do projeto, hoje há uma média de 50 livros nas mãos das duas bolsistas, também alunas do curso de Letras do campus Maceió, e mais seis voluntários que integram o projeto. Carlos Augusto explica que a ideia do “Senta que lá vem história” surgiu após participação no último Colóquio em Letras e Linguística do Ifal (Collin), realizado em 2016, quando um projeto semelhante foi apresentado e incentivou Carlos Augusto a aplicar a metodologia de leitura em sua comunidade. “Como sou aluno e não podia submeter um projeto de extensão sem orientação, solicitei o apoio da professora Regina Brasileiro, que me deu total apoio e hoje acompanha de perto todas as nossas atividades”, declarou.

O próximo passo é a instalação de um espaço de leitura no Alto da Boa Vista, segundo ele um bairro muito carente de educação e lazer para os jovens. A diretora de Ensino do campus Maceió, Gisele Loures, demonstra admiração e alegria pela iniciativa ter partido de um estudante. “Reconhecemos o alcance e a importância social das ações do projeto do Carlos Augusto e pra nós é uma honra tê-lo no Ifal. Temos muito orgulho de ter feito parte da formação dele e acreditamos que levar acesso à leitura e educação para as pessoas é investir em desenvolvimento social”, disse.

As contações acontecem quinzenalmente aos sábados, mescladas com oficinas de criação de fantoches. Nos momentos de contação, as histórias são contadas em livros, teatrinho, lousa ou dramatizadas, a fim de criar uma interação maior com as crianças participantes. Músicas, brincadeiras e distribuição de livros que são fruto de doações também fazem parte das atividades. “O projeto de leitura vem se mostrando eficaz em sua proposta de incentivar a leitura a partir da contação de histórias, pois já notamos resultados em crianças que liam com dificuldade e estão lendo com mais desenvoltura, outras que tinham vergonha de ler em público já leem tranquilamente e apresentam um melhor desempenho na escola. O projeto 'Senta que lá vem história' foi a forma que nós encontramos de levar cultura e educação para as crianças”, detalhou Carlos Augusto.

Acesse AQUI a fanpage do projeto.

registrado em: