Você está aqui: Página Inicial > Acesso à Informação > Perguntas frequentes > Pró-Reitoria de Ensino
conteúdo

Pró-Reitoria de Ensino

por Elaine Rodrigues publicado 29/04/2020 15h57, última modificação 11/05/2020 10h10

1 – Quais as competências da Pró-Reitoria de Ensino?
À Pró-Reitoria de Ensino (PROEN) compete planejar, superintender, coordenar, fomentar e acompanhar as atividades e políticas de ensino homologadas pelo Conselho Superior, em consonância com as diretrizes emanadas do Ministério da Educação, em articulação com a pesquisa e à extensão. A PROEN tem como objetivo o desenvolvimento e execução das atividades pedagógicas da Instituição. Tem como parâmetros a legislação pertinente e as regulamentações internas da Instituição. Estas possuem ênfase na efetivação dos princípios de flexibilização curricular e na relação entre os saberes, orientando o processo de adequação dos Projetos Pedagógicos dos Cursos às Diretrizes Curriculares Nacionais e às Políticas de Ensino na Instituição.

 2 - Existe diferença entre os Institutos Federais e as Universidades Federais?
De acordo com a Lei Federal nº 11.892/2008, que institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica e cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia, eles são equiparados às universidades federais, pois são Instituições de Ensino Superior (IES). A diferença está na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino oferecida nos Institutos Federais.

(Fonte: Lei Federal nº 11.892, de 29 de dezembro de 2008).

3 -Todos os cursos do IFAL são ofertados em todas as cidades que tem campus do Instituto?
Não, você precisa ver no site, quais os cursos ofertados no Campus da cidade onde você quer estudar. A informação também está disponível nos editais dos processos seletivos.

4 - Existe pagamento de mensalidade para estudar no IFAL?
O Ifal é uma instituição pública de ensino, e o estudante não paga mensalidade e nem a matrícula, pois todos os cursos são gratuitos.

5 - O que é um curso técnico?
Curso de nível médio que objetiva a formação de pessoas com conhecimentos teóricos e práticos nas diversas atividades do setor produtivo. Um dos propósitos do curso técnico é o acesso mais rápido ao mundo do trabalho, além da perspectiva de requalificação ou mesmo reinserção no setor produtivo. Este curso é destinado a interessados(as) que tenham concluído o ensino fundamental ou ensino médio, dependendo da forma de oferta.
(Fonte: Ministério da Educação)

6 - Como se dá a articulação de cursos técnicos com o ensino médio?
A articulação de cursos técnicos com o ensino médio, ocorre de três formas, a saber: integrada, concomitante ou subsequente.
Na forma integrada, o estudante, com uma única matrícula, frequenta curso cujo currículo foi planejado reunindo os conhecimentos do ensino médio às competências da educação profissional.
Na forma concomitante, ocorre uma complementaridade entre o curso técnico e o ensino médio. Nesta modalidade o estudante tem duas matrículas.
Na forma subsequente, o estudante, ao se matricular no curso técnico, já concluiu o ensino médio.
(Fonte: Ministério da Educação)

7 - Qual a diferença entre curso técnico integrado e técnico subsequente?
A diferença é que no Curso Técnico Integrado você fará os componentes curriculares da Formação Profissional e da Formação Geral no mesmo curso, a ao final você terá o ensino médio concluído com a habilitação técnica na área que você escolheu. Para fazer um curso técnico integrado é preciso ter comprovante de conclusão do Ensino Fundamental ou equivalente até a data da matrícula. Já no Curso Técnico Subsequente, que também é de nível médio, você precisa ter concluído o Ensino Médio, e para se candidatar a uma vaga, precisa ter o certificado de conclusão do ensino médio, ou equivalente, até a data da matrícula.

8 - Quais as vantagens do ensino tecnológico frente aos cursos de graduação tradicionais?
Uma das vantagens é que os cursos superiores de tecnologia possui tempo de duração menor que os demais cursos de graduação, apresentando na sua formação uma organização curricular pautada em disciplinas que tem como foco nos aspectos práticos da profissão interligados as necessidades do mundo do trabalho. A formação é voltada para a investigação, organização do conhecimento técnico e a aplicação prática de ferramentas e processos no mundo do trabalho.

9 - Um curso tecnológico é uma graduação?
Os cursos superiores de tecnologia ou graduações tecnológicas são cursos de graduação plena como quaisquer outros cursos de licenciatura ou bacharelado. Seus diplomas têm validade nacional. (Fonte: Ministério da Educação)

10 - O meu diploma de curso superior de tecnologia é aceito em concursos públicos?
Sim. Se o edital do concurso público colocar como requisito para a vaga o diploma em curso superior de graduação, o seu diploma será aceito. A única exceção será quando o edital explicitar a necessidade de diploma de graduação em bacharelado ou de licenciatura. (Fonte: Ministério da Educação)

11 - Qual a diferença entre cursos técnicos e tecnológicos?
O curso técnico é voltado para o aluno que vai cursar ou já cursou o ensino médio e quer aprender uma profissão. No Ifal ele é amplamente oferecido integrado ao ensino médio. Ou seja, o aluno faz os dois ao mesmo tempo. Já o curso tecnológico é um curso superior, uma modalidade de graduação, assim como o bacharelado e a licenciatura. (Fonte: Ministério da Educação)

12 - O que é o grau acadêmico?
O Grau Acadêmico é conferido por uma Instituição de Educação Superior (universidade, centro universitário, faculdades integradas, faculdade, escola ou instituto superior, centro de educação tecnológica) como reconhecimento oficial por ter o discente concluído, com sucesso, todos os requisitos exigidos pelo curso.
Grau de bacharel: é o grau acadêmico conferido ao discente que concluiu curso que oferta a modalidade bacharelado.
Grau de licenciado: é o grau acadêmico conferido ao discente que concluiu curso que oferta a modalidade licenciatura.
Grau de tecnólogo: é o grau acadêmico conferido ao discente que concluiu curso que oferta a modalidade tecnológico.

13 - Qual a diferença entre bacharelado e licenciatura?
Bacharelado: o profissional com o grau de bacharel pode atuar de maneira mais ampla no mercado de trabalho, pois os cursos desta modalidade são mais generalistas, que confere ao diplomado competências em determinado campo do saber para o exercício de atividade profissional, acadêmica ou cultural. A carga horária costuma ser superior à dos Cursos Superiores de Tecnologia.
Licenciatura: curso superior que confere ao diplomado conhecimentos e competências para atuar como professor na Educação Básica (Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio) e nas modalidades de ensino (Educação Profissional, Educação de Jovens e Adultos, Educação Especial, entre outras). O currículo conta com componentes curriculares que visam o desenvolvimento de práticas pedagógicas relacionadas com os saberes específicos de cada área do conhecimento, na articulação entre teoria e prática necessária para o exercício da docência.

14 - O IFAL oferta cursos de licenciatura?
Sim. Os Institutos Federais buscam garantir o mínimo de 20% de suas vagas para atender a oferta de cursos de licenciatura, bem como programas especiais de formação pedagógica, com vistas a formação de professores para a educação básica. O Ifal tem diversos cursos de licenciatura em áreas tais como Letras-Português, Física, Matemática, Química, Ciências Biológicas, tanto na modalidade presencial como na semipresencial.

15 - Posso estar matriculado ao mesmo tempo em duas instituições de ensino superior?
Não no mesmo nível de ensino. A Lei Federal nº 12.089, de 11 de novembro de 2009, proíbe que uma mesma pessoa ocupe, na condição de estudante, duas vagas, simultaneamente, em cursos de graduação, em instituições públicas de ensino superior em todo o território nacional. Mas, se for em níveis diferentes pode. Ou seja, o aluno pode apenas estar matriculado, por exemplo, em um curso técnico no Ifal e em uma graduação na Ufal ou em outra instituição pública de ensino superior. (Fonte: Lei Federal nº 12.089, de 11 de novembro de 2009)

16 - Eu posso aproveitar disciplinas de outros cursos que realizei?
Sim. Corresponde ao processo de aproveitamento de carga horária de atividades formativas. O Colegiado do Curso concede essa possibilidade ao discente que tenha realizado estudos/atividades anteriores ao ingresso no Ifal, em outra Instituição de Ensino Superior, desde que devidamente credenciada. As cargas horárias de estudos/atividades que o discente realize durante o curso no Ifal, ao participar de programas de Mobilidade Acadêmica, Dupla Titulação, ou em outras IES como aluno especial, também pode ser aproveitada.

17 - O que é o colegiado do curso?
É o órgão de deliberação coletiva formado por discentes e docentes do próprio Curso. Ele é responsável pela definição das diretrizes, coordenação e supervisão do desenvolvimento acadêmico do Curso, prestando assistência aos discentes através do coordenador e dos docentes orientadores.

18 - O que é calendário acadêmico?
É o calendário que estabelece, oficialmente, as datas e prazos de todas as atividades acadêmicas do curso.

19 - Qual é o sistema de informações acadêmico utilizado no IFAL?
É o SIGAA (Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas). Esse sistema informatiza os procedimentos da área acadêmica através dos módulos de: graduação, pós-graduação, ensino técnico etc. Através dele se dá todo o controle acadêmico tal como frequência, notas, planos de aula, atividades acadêmicas, ações de pesquisa e extensão, submissão e controle dos projetos de ensino, registro e relatórios da produção acadêmica dos docentes. O SIGAA possibilita a realização de atividades de ensino a distância, pois também é um ambiente virtual de aprendizado (AVA).

20 - O que é uma ementa de curso?
É o resumo ou sinopse do conteúdo de um determinado componente curricular, contendo aspectos de ordem conceitual e/ou procedimental.

21 - O que é o estágio curricular?
Estágio curricular é a prática de caráter pedagógico, para a aquisição das competências profissionais, habilidades, hábitos e atitudes necessários ao discente para exercer a profissão. A função do estágio é proporcionar ao discente a relação dos conteúdos teóricos com a prática profissional, ao tempo em que garante maior vinculação do curso com o mundo do trabalho. Todo estágio, mesmo não-obrigatório, é curricular e deve ser realizado apenas após a assinatura do Termo de Compromisso de Estágio.

22 - O que é o termo de compromisso de estágio?
O Termo de Compromisso de Estágio é um acordo celebrado entre o discente, a parte concedente do estágio e o Ifal, prevendo as condições de adequação do estágio à proposta pedagógica do curso, à etapa e modalidade da formação escolar do estudante e ao horário e calendário escolar.

23 - O que é o histórico escolar?
É o documento que registra o desempenho do discente durante um curso, considerando as notas e/ou resultados finais obtidos nas atividades formativas em que se inscreveu em todos os períodos letivos, o ano e a forma de ingresso no Ifal, o coeficiente de rendimento, os trancamentos de matrícula, se for o caso, e de inscrição em componentes curriculares, entre outros dados pessoais e de natureza acadêmica.

24 - O que são os programas de iniciação científica?
São programa de bolsa de pesquisa, remunerado ou voluntário, voltado para o aperfeiçoamento acadêmico do discente. O programa permite desenvolver ou participar de um projeto em qualquer área do conhecimento, mas sempre com a orientação de um pesquisador (professor ou técnico) vinculado à instituição.

25 - O que é a matrícula acadêmica?
É o vínculo formal do discente com o seu curso ou registro formal num componente curricular ou atividade de um curso. A matrícula ocorre quando o discente ingressa em um curso do Ifal.

26 - De quanto em quanto tempo eu preciso renovar a minha matrícula?
Nos cursos de graduação e nos cursos subsequentes de nível médio, o estudante precisa renovar a matrícula semestralmente para se inscrever em atividades formativas. Nos cursos técnicos integrados ao ensino médio, essa renovação é feita anualmente. A renovação é reservada ao discente regularmente matriculado no Ifal, é obrigatória e deve ser realizada no período estabelecido no Calendário Acadêmico.

27 - O que é uma rematrícula?
É a situação na qual o discente que teve sua matrícula cancelada em decorrência da aplicação dos dispositivos de cancelamento previstos no Normas de Organização Didática do Ifal do curso, solicita formalmente a sua readmissão como discente regular do curso.

28 - Eu posso trancar a minha matrícula?
Sim. Isso ocorre quando o discente, regularmente matriculado, solicita formalmente a suspensão temporária de inscrição, podendo ser por um semestre ou por tempo determinado, desde que obedecidos os limites estabelecidos nas Normas de Organização Didáticas do Ifal. A análise da solicitação é feita pelo Colegiado do Curso.

29 - O que é a integralização curricular?
É o cumprimento de toda a carga horária e de todos os componentes curriculares exigidos no currículo de um Curso.

30 - O que é a matriz curricular?
É constituída pelas relações de interdependência e temporalidade entre os componentes curriculares e atividades do currículo de um curso. Especifica a ordem na qual os componentes curriculares e atividades devem ser cursadas e realizadas pelo discente em determinado período de tempo (ano, semestre, trimestre, etc.), além de pré-requisitos e equivalências para cada disciplina.

31 - O que é um pré-requisito?
É um conhecimento indispensável, adquirido através de determinadas atividades formativas ou componente(s) curricular(es), visando à continuidade de estudos mais avançados, através de outras atividades formativas ou componente(s) curricular(es). Quando no projeto do curso houver a recomendação de inscrição de componentes curriculares em paralelo, configura-se a situação de co-requisito.

32 - O que é a mobilidade acadêmica?
É a possibilidade de afastamento temporário do discente para o desenvolvimento de atividades de natureza acadêmica, científica, artística e cultural, estágio, Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), atividades de extensão e/ou pesquisa orientada, em outra instituição de ensino superior ou centro de pesquisa no Brasil ou no exterior. Nesse sentido, a mobilidade pode ser interna, nacional ou internacional, tanto para estudantes do Ifal quanto para estudantes de outras instituições de ensino superior ou pesquisa, do Brasil ou do exterior que vêm para o Ifal.

33 - Eu posso mudar de curso?
Sim, por transferência interna, através dos Processos Seletivos de Transferência e Equivalência, que o Ifal disponibiliza conforme os Editais que são publicados com regularidade, conforme o seu desempenho nesses processos seletivos.

34 - Quais são os processos seletivos para ingressar nos cursos de graduação do IFAL?
Existem três possibilidades de ingresso no Ifal: (1) através do SISU, (2) pelos Editais de Transferência e Equivalência e (3) via Seleção Externa.
SISU (Sistema de Seleção Unificada): O Sisu é o sistema informatizado do Ministério da Educação, no qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional de Ensino Médio (Enem). Os candidatos com melhor classificação são selecionados, de acordo com suas notas no exame.
Processo Seletivo de Transferência Externa: ocorre quando um candidato que está regularmente vinculado a um curso de graduação, no ano letivo em vigor, em outra instituição de ensino superior, ter concluído o primeiro período, apresentar as condições exigidas no edital e apresentar toda a documentação exigida por este Edital.
Processo Seletivo por Equivalência: é a possibilidade de um candidato que já tenha diploma de curso superior reconhecido pelo MEC, ou revalidado no Brasil, realizar um outro curso de graduação no Ifal. Ele deverá passar no processo seletivo oficializado por edital, cumprindo todos os requisitos necessários.
Seleção Externa: para os cursos ofertados na modalidade a distância, que estão a cargo da Diretoria de Ensino a Distância (DIREAD),com inscrições no próprio site do Ifal.

35 - O que é um recurso?
É um ato que visa à revisão e à modificação da decisão final de processo acadêmico ou situação acadêmica, na mesma instância, para reconsideração, ou em instância superior, por meio da apresentação de novos argumentos e/ou comprovantes.

36 - O IFAL possui vagas reservadas?
Sim. Essa é uma resolução definida em lei. De acordo com a Lei nº 12.711, de 29 de agosto de 2012, as Universidades Públicas Federais e Institutos Federais devem assegurar que no mínimo 50% das vagas sejam destinados a alunos que cursaram integralmente o Ensino Fundamental ou Médio, conforme o caso, em escola públicas.
O percentual de vagas reservadas para alunos de escolas públicas é definido pelo IBGE. Elas distinguem os alunos conforme a renda per capita, etnia (candidatos autodeclarados pretos, pardos ou indígenas) e candidatos portadores de deficiência. Para saber mais sobre as vagas reservadas, leia os Editais dos Processos Seletivos. Independentemente da modalidade, só poderão se inscrever na modalidade de reserva de vagas alunos que cursaram todo Ensino Fundamental ou Médio, conforme o caso, em escolas públicas.

37 - O que é o tempo de integralização?
É o tempo fixado pelo Conselho Nacional de Educação para cumprimento do currículo de um curso, podendo ser integralizado em tempos mínimo e máximo, considerando o tempo necessário à integralização, em ritmo que assegure um aproveitamento satisfatório.

38 - O que são cursos EAD?
São cursos na modalidade a distância, mediados por tecnologia digitais de informação e comunicação (TDIC), realizados em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

39 - O IFAL oferta cursos na modalidade a distância?
Sim. Atualmente o Ifal oferta três cursos de graduação a distância e uma especialização. A nível de graduação disponibilizamos um bacharelado em Administração Pública e duas licenciaturas (Ciências Biológicas e Letras - Português). No segundo semestre iniciaremos uma especialização em Docência da Educação Profissional. Todos esses cursos estão vinculados a Universidade Aberta do Brasil, um programa da Capes/ Governo Federal.

40 - Os cursos a distância do IFAL são totalmente online?
Os nossos cursos são semipresenciais. Isso quer dizer que 30% da carga horaria do curso é composta por encontros presenciais que acontecem aos sábados nos polos UAB espalhados pelo estado (Arapiraca, Cajueiro, Maceió, Palmeira dos Índios, Penedo, Piranhas, Santana do Ipanema e São José da Laje). As outras horas são cumpridas online, em atividades realizadas através de nosso ambiente virtual de aprendizagem.

41 - Há diferença nos diplomas de cursos EAD?
O diploma obtido em um curso na modalidade distância tem o mesmo valor legal daquele obtido na modalidade presencial; não há nada no documento que o diferencie de um obtido na modalidade presencial.

42 - O que é e como funciona a assistência estudantil?
A Assistência Estudantil do Ifal é regulamentada pela Resolução/CS nº 16, de 11 de dezembro de 2017 e tem por finalidade possibilitar condições para o acesso, a permanência com qualidade e a conclusão com êxito das/os estudantes regularmente matriculados/as, em cursos presenciais de nível médio – nas formas integrado e subsequente – e de nível superior.

43 - Quando é publicado o edital para concessão de bolsas e auxílios da assistência estudantil? Quais documentos preciso entregar para concorrer ao edital?
Os processos de seleção dos programas disponíveis em cada campus ocorrerão, via edital, a cada início de ano letivo e/ou novo ingresso de turmas. E a lista de documentação necessária para participação do processo seletivo é disponibilizada em todos os editais.

44 - Fui desligado do programa ano passado, posso concorrer novamente?
Sim, a análise socioeconômica e/ou nutricional é feita por profissionais da Assistência Estudantil a cada novo edital para acesso aos programas de seleção.

45 - Sou bolsista PIBID/PIBIC/PIBIT/EXTENSÃO, posso concorrer ao auxílio permanência?
A/O estudante terá direito apenas a 01 (uma) bolsa com vínculo institucional, sendo vedado o acúmulo de bolsas, mesmo que de categorias diferentes, sendo permitido acumular bolsa e auxílios.

46 - Observamos que o auxílio permanência possui valores diferenciados entre si. Por que?
O Programa Auxílio Permanência é caracterizado pela transferência de recursos financeiros a estudantes para custear despesas com transporte, alimentação, moradia, creche, atendimento educacional especializado (AEE) ou outras necessidades socioeconômicas caracterizadas por uma situação de risco e/ou vulnerabilidade social, especialmente para prevenir a evasão ou retenção decorrentes da insuficiência de condições financeiras. Desta forma, os valores são pensados para atender as diversas demandas estudantis, em cada campus.

47 - O que é o NAPNE e qual seu objetivo?
O Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas (NAPNE) é um setor de apoio ao processo de ensino e aprendizagem que tem caráter consultivo/propositivo e media a educação inclusiva das pessoas com necessidades específicas no Ifal. Seu público-alvo são estudantes com deficiência, com altas habilidades/superdotação, transtornos globais de desenvolvimento ou outros transtornos de aprendizagem.

48 - O que é o NEABI e qual seu objetivo?
O Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) é um setor propositivo e consultivo que estimula, promove, planeja e executa ações de Ensino, Pesquisa e Extensão pautadas pela temática das identidades e relações étnico-raciais, com ênfase no reconhecimento e valorização das populações afro-brasileiras e indígenas no âmbito da instituição e em suas relações com a comunidade externa.