Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Ifal e Politécnico de Bragança iniciam cooperação para dupla diplomação de alunos

Notícias

Ifal e Politécnico de Bragança iniciam cooperação para dupla diplomação de alunos

Após a assinatura do termo, os discentes do Ifal poderão finalizar seus cursos em Portugal

por Jhonathan Pino - jornalista publicado: 04/12/2018 13h15 última modificação: 04/12/2018 13h15

O reitor do Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Sérgio Teixeira, assinou, nesta segunda-feira, 3, o termo de cooperação para a implementação de programas de dupla diplomação, entre o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e a instituição alagoana. Trata-se do primeiro acordo em que o Ifal participa, nessa categoria de mobilidade acadêmica. Ao ser colocado em execução, no próximo ano, o convênio abre oportunidades para que estudantes alagoanos finalizem a graduação em Portugal e possam ter títulos de graduação reconhecidos no Brasil e na comunidade europeia.

O processo de seleção de discentes serão para cursar o período de um ano na Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPB (Engenharia da Construção),  será realizado mediante edital, a ser publicado no início de 2019. Nesse primeiro pleito, poderão concorrer à bolsa e ao custeamento da atividade, no exterior, alunos do 8º período de Engenharia Civil do Instituto. A cooperação ainda estabelece que além do bacharelado no Ifal, os participantes da mobilidade internacional terão o diploma de licenciado e mestre pelo IPB.

Durante o período de mobilidade internacional, o estudante também poderá estender o período de permanência no exterior, por mais três meses, para a finalização e defesa de sua dissertação, ou ainda para a realização de uma mobilidade adicional, numa terceira instituição de ensino superior, ou empresa, de um país da União Europeia, que seja parceira do IPB. Nesse período, ele poderá participar de um estágio de pesquisa, ou profissional, com bolsas do Programa Erasmus.

“Um estudante que participa de uma oportunidade como essa e vivencia a experiência de uma mobilidade acadêmica que lhe dá uma dupla diplomação, faz toda a diferença em sua perspectiva formativa. Além de licenciado, ele terá um diploma de mestre, que poderá ser validado posteriormente, nas instituições brasileiras”, enfatizou Cledilma Costa, chefe do Departamento de Ensino Superior da Pró-reitoria de Ensino (Proen).

Mas os ganhos não ficarão restritos aos alunos, Cledilma lembra que os docentes e pesquisadores do Ifal também terão a chance de participar do desenvolvimento de pesquisas e de bancas de avaliação de dissertações, na instituição lusitana. “A dupla diplomação vai além do intercâmbio dos estudantes, ela significa também a formação continuada para os professores”, opinou.

A coordenadora de Relação Internacionais, Carla Vieira, acrescenta que esse acordo abre espaço para que outros cursos do Ifal possam participar do programa, como as licenciaturas. Além disso, continua em vigência uma cooperação de ensino e intercâmbio entre o IPB e a instituição alagoana, que, desde 2015, permite  a colaboração entre professores e estudantes de diversos cursos, por meio de intercâmbios de seis meses.

registrado em: ,