Você está aqui: Página Inicial > Notícias > Em homenagem ao 8 de março, Mulheres Mil lança programas de rádio produzidos por alunas

Notícias

Em homenagem ao 8 de março, Mulheres Mil lança programas de rádio produzidos por alunas

Áudios estão disponíveis na plataforma online Soundcloud

por Roberta Rocha publicado: 08/03/2018 17h12 última modificação: 12/03/2018 08h18

Alunas do programa Mulheres Mil do Instituto Federal de Alagoas - Ifal, iniciativa voltada à qualificação profissional de populações femininas em situação de vulnerabilidade, transformaram suas vivências e conhecimentos adquiridos na sala de aula em um programa de rádio. Seis desses experimentos foram lançados na plataforma virtual Soundcloud, nesta terça-feira (8), em homenagem ao Dia Internacional da Mulher.

O projeto, intitulado Liberando Vozes, surgiu a partir da atuação da professora Júlia Mendes como facilitadora de oficinas de produção de rádio, nos municípios de Maceió, Arapiraca, Marechal Deodoro, Porto de Pedras, Santana do Ipanema e São Miguel dos Campos.

Em cada unidade, estudantes matriculadas nos cursos do Mulheres Mil se candidataram para participar da produção radiofônica. A partir daí, foram distribuídos entre as cidades beneficiadas alguns temas integrantes do módulo central das capacitações ofertadas pelo Mulheres Mil, como ética, segurança alimentar, inclusão digital, empreendedorismo, saúde e direitos da mulher.

Promovida pela gestão do programa, a atividade, além de auxiliar na fixação de conteúdos da matriz curricular dos cursos envolvidos, teve como objetivo empoderar as participantes por meio da tomada da palavra e criar um espaço de vozes femininas múltiplas. O resultado, de acordo com Júlia Mendes, foi um projeto rico e potente, que pode ser conferido no endereço soundcloud.com.br/mulheres-mil-ifal.  

"Enriquecedor porque quando a gente escuta as experiências vitais e de aprendizado de mulheres tão diversas, isso amplia muito a nossa perspectiva de mundo. E potente porque quando vozes tão distintas, tão plurais, tomam as ondas do rádio, vozes de mulheres que costumam não estar presente na mídia massiva, elas saem desse lugar de invisibilidade", explica a professora.

Da elaboração do roteiro à locução do programa de rádio, foi tudo executado pelas próprias alunas, graças ao formato dinâmico e participativo das oficinas, todas com duração de 4 horas. "Tivemos a oportunidade de falar o que pensamos, o que sentimos, o que aprendemos. Foi um prazer imenso", conta Célia Leopoldino, uma das participantes. Ela e outras mulheres que soltaram a voz no projeto superaram o medo de falar a um grande número de ouvintes e se mostraram surpreendidas com o poder da palavra. 

"Nas oficinas, muitas delas se sentiam intimidadas com o mero ato de pegar o microfone, expressar suas opiniões, e de saber que ia estar sendo escutada. Isso tem muito a ver com a questão da violência contra as mulheres, com a forma que o nosso mundo está configurado. Então, a partir do momento que elas tomam a palavra, a gente está criando outras representações de mundo. Mesmo que de forma microlocalizada, isso já é uma criação de novos referentes", analisa Júlia Mendes. 

As emissoras de rádio interessadas em aderir ao Liberando Vozes, em especial aquelas instaladas nos municípios incluídos no projeto, poderão replicar em sua programação os áudios produzidos pelas alunas, como parte das comemorações alusivas ao 8 de março. "Estamos convidando os meios de comunicação alagoanos a endossar esse coro a favor da representatividade feminina nos mais diversos espaços. Há todo um simbolismo por trás da iniciativa de dar voz a mulheres, numa sociedade onde somos comumente silenciadas. Trata-se de uma experiência transformadora", encerra a gestora institucional do Mulheres Mil no Ifal, Luiza Jaborandy.

Sobre o programa

O Mulheres Mil é uma iniciativa do governo federal vinculada ao Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) e executada pelos institutos federais, no intuito de promover a emancipação social, econômica e educacional de milhares de brasileiras . 

Em Alagoas, o programa já atendeu mais de 7.000 mulheres, com a oferta de cursos profissionalizantes aliados à formação cidadã. Também faz parte da metodologia do Mulheres Mil a utilização de práticas de elevação da autoestima e de problematização do papel da mulher na sociedade. 

registrado em: