Você está aqui: Página Inicial > Campus > Site > Satuba Notícias > AIDS é tema de Sábado Letivo no Ifal Satuba

Notícias

AIDS é tema de Sábado Letivo no Ifal Satuba

por Ademilson Galdino publicado: 20/12/2017 15h08 última modificação: 20/12/2017 15h18

 

Quando o assunto é Doenças Sexualmente Transmissíveis, informação e prevenção nunca são demais. E quando se trata de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), doença transmitida pelo vírus HIV, e que ainda não tem cura, os cuidados devem ser redobrados.

Foi com esse pensamento que, no último sábado 16, professores da área de Linguagens e Códigos do Ifal Satuba dedicaram uma manhã inteira para discutir o assunto. Com a exibição de filme, debate, palestra com especialista, produção de painéis e distribuição de preservativos e folhetos informativos, professores e alunos interagiram e trocaram ideias sobre o tema.

Segundo o professor de Física Waldemir Chaves, que participou do evento como coordenador  do projeto Cineciência,  juntamente com as bolsistas Flávia Emanuelle e Laura Layne,  do 2º ano de Agroindústria, o evento iniciou com a exibição do filme “A Cura”, que trata de questões inerentes aos portadores do vírus HIV. Seguiu-se com um breve debate, onde foram elencadas ações necessárias ao permanente cuidado com a saúde. 

Para o aluno Davi Martins, do 2º ano de Agropecuária, em tempos de escassez de informações sobre HIV/AIDS, foi de extrema importância a opção pelo tema, tanto para uma maior conscientização, como para o aprimoramento dos conhecimentos dos participantes.

Após o debate,  o evento prosseguiu com a palestra da psicóloga Simone Pinheiro, da Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (SESAU). Logo após, alunos foram convidados a produzir cartazes sobre o tema vivenciado, a serem expostos no refeitório da Instituição.

“Ficou demonstrada a nossa capacidade de realizar, unindo professores e estudantes do campus. Destacou-se também a importância de buscarmos profissionais de diversas áreas do conhecimento para promover uma verdadeira construção do saber”, concluiu Waldemir.