Você está aqui: Página Inicial > Campus > Site > Piranhas Notícias > Seminário discute atividade antimicrobiana e terapia fotodinâmica

Notícias

Seminário discute atividade antimicrobiana e terapia fotodinâmica

Alunos e servidores, que desenvolvem pesquisas em fotodinâmica no campus, organizaram o evento

por Rhamayana Barreto publicado: 10/05/2018 12h06 última modificação: 10/05/2018 12h06

Na última terça-feira (8), aconteceu o I Ciclo de Seminários de Microbiologia Geral e de Alimentos com o tema “Atividade Antimicrobiana e Terapia Fotodinâmica”. A ênfase para o tema é fruto da parceria entre o Ifal Piranhas e a USP - São Carlos, promovida pela pesquisadora Cíntia Teles, docente da disciplina de Física do campus, que juntamente à professora Juliana Moraes, de Agroindústria, vem desenvolvendo pesquisas em terapia fotodinâmica no laboratório de microbiologia.
Os subtemas do seminário foram apresentados pela aluna Raniele Ventura, bolsista do Programa de Iniciação Científica (Pibic) e as colaboradoras Yali Moura, Rafaela Monteiro, Júlia Pergentino e Jailane Campos. As alunas falaram sobre a história, princípios básicos, aplicações e perspectivas da terapia fotodinâmica e da atividade antimicrobiana. Segundo a professora Juliana Moraes, o primeiro evento realizado pela equipe do laboratório foi um sucesso e contou com a participação de muitos alunos e servidores do campus, que participaram, ativamente, tirando dúvidas durante a roda de conversa que finalizou o evento.Comissão organizadora do evento

Nos últimos anos, o laboratório de microbiologia geral e de alimentos na área de agroindústria tem passado por várias mudanças e avanços. “Desde 2015, nós realizamos pesquisas de iniciação científica no laboratório com alunos do ensino médio integrado e, hoje, trabalhamos tanto com alunos da educação básica quanto da superior, de Engenharia Agronômica”, afirma Juliana. Ela explica que, durante o mestrado, teve contato com a terapia fotodinâmica, na Universidade Federal de Alagoas, através do também docente do Ifal Piranhas Robenilson Ferreira dos Santos, e quando a professora Cíntia foi nomeada para o Ifal Piranhas, o Robenilson, sabendo que ela que é da área, sugeriu que elas se contatassem. “Quando conversamos, surgiram várias ideias e a professora Cíntia viabilizou a obtenção de um empréstimo do equipamento com a USP de São Carlos. Com isso, nós pudemos dar início ao projeto de iniciação científica em fotodinâmica com uma aluna que é egressa do curso técnico integrado em Agroindústria e, atualmente, cursa Engenharia Agronômica no Instituto, a Raniele”, conta Juliana.

Sobre a parceria com a professora Cíntia Teles, ela destaca a questão da interdisciplinariedade das pesquisas desenvolvidas por elas, que associam a física à microbiologia, focando a aplicabilidade dos estudos à saúde do consumidor e à produção de alimentos mais seguros. Entre os projetos das professoras Cíntia e Juliana, está a criação de um grupo de pesquisa em biofotônica aplicada a alimentos e a realização de seminários anuais como o desta semana.