Você está aqui: Página Inicial > Campus > Site > Arapiraca Notícias > Pesquisa do Ifal Arapiraca estuda incidência da Doença de Huntington em Feira Grande

Notícias

Pesquisa do Ifal Arapiraca estuda incidência da Doença de Huntington em Feira Grande

O trabalho foi credenciado para participar de encontro internacional na Colômbia e da Exposição de Ciência, Engenharia, Tecnologia e Inovação, em Pernambuco

por Elaine Rodrigues publicado: 25/05/2018 08h42 última modificação: 17/06/2018 21h19
Exibir carrossel de imagens Professor Geraldo Ramires com os alunos Noemy Roberta e Valmir dos Santos

Professor Geraldo Ramires com os alunos Noemy Roberta e Valmir dos Santos

Uma doença rara, transmitida geneticamente e que tem a capacidade de degenerar o sistema nervoso central. A Doença de Huntington (DH) atinge homens e mulheres de forma geral, mas possui grande incidência no município de Feira Grande, que fica no Agreste de Alagoas. E esse é o objeto de estudo de uma pesquisa realizada pelo Ifal Arapiraca.

Desde agosto do ano passado, os estudantes Valmir dos Santos Júnior e Noemy Roberta de Oliveira Silva, coordenados pelo professor Geraldo Ramires de Lima Júnior, estudam os aspectos epidemiológicos da doença em Feira Grande. A pesquisa envolve a revisão da literatura existente sobre a DH, além da promoção de ações que buscam envolver a comunidade local, divulgando informações e orientações.

Alunos apresentando a pesquisa feita em Feira Grande

“A doença de Huntington é uma doença neurodegenerativa do cérebro que se caracteriza pela perda de coordenação motora, alterações psiquiátricas, declínio cognitivo e demência progressiva. A DH é causada pela mutação no gene de uma proteína que todos possuímos, a huntingtina. E a mutação causa a morte seletiva de neurônios do estriado, córtex e hipotálamo”, explica o professor.

Em Feira Grande, os moradores conhecem a enfermidade por ‘doença do nervoso’, pois ela ainda altera o ânimo dos pacientes, trazendo irritabilidade.

O projeto de Pesquisa surgiu da curiosidade do estudante Valmir Júnior, que mora em Feira Grande. Nesse tempo de estudo, ele contou com a ajuda da pesquisadora Maria Aparecida Alencar e de agentes comunitários de Saúde do município para encontrar mais de 20 pessoas com a DH no município. “Nosso trabalho tem o objetivo de atualizar o número de casos da doença. Ainda estamos fazendo o levantamento”, conta o estudante.

A atividade conta ainda com o apoio da Secretaria de Saúde de Feira Grande. Na última semana, os pesquisadores estiveram com a secretária, Soraya Medeiros, com o coordenador de Promoção à Saúde, Jackson Santana, e com a equipe do Núcleo de Apoio à Saúde da Família. Na reunião, foram apresentados os dados levantados e estabelecida uma parceria de atuação.

Divulgação

A pesquisa foi credenciada para ser apresentada na terceira edição da Exposição de Ciência, Engenharia, Tecnologia e Inovação, que está marcada para acontecer entre os dias 4 e 8 de junho, em Pernambuco. Ela ainda recebeu a certificação para participar do Encuentro Internacional Colombista de Ciencia, Inovacion y Empreendimiento, que está marcado para o mês de agosto, na Colômbia.

Valmir dos Santos apresentando a pesquisa

O projeto também conquistou o primeiro lugar do prêmio Dandara dos Palmares, na categoria Pôster, durante o I Simpósio Interdisciplinar Ciência, Tecnologia e Cultura da Universidade Federal de Alagoas, campus Agreste, em outubro do ano passado. E, no mesmo mês, recebeu o segundo lugar da categoria Saúde, da III Mostra Científica de Inovação e Tecnologia da Escola Estadual de Ensino Médio Integral Integrado à Educação Profissional Professora Izaura Antônia de Lisboa, em Arapiraca. Já em novembro participou da 5ª Semana de Pesquisa do Centro Universitário Tiradentes, em Alagoas.